© 2016 by CAIO PADILHA

TRABALHOS

para contratação do artista.

Aula-Espetáculo:
Um sonho de Rabeca na Arca da Brasilidade.

Os instrumentos musicais oriundos da cultura popular oferecem, para muito além do entretenimento, algumas chaves importantes para o acesso às riquezas culturais de um país.  A Rabeca, a sanfona, a viola caipira, especialmente através de seu repertório próprio, permite acesso à um Brasil profundo e geralmente desconhecido, porém muito bem documentado por historiadores importantes como Câmara Cascudo, por exemplo.

No livro “Vaqueiros e Cantadores”, Cascudo nos brinda com a história de Fabião das Queimadas, rabequeiro escravo que no séc. XIX que compra sua própria alforria tocando rabeca e improvisando versos pelo interior do Brasil. Caio Padilha propõe uma aula espetáculo que aguça no público muitas curiosidades em volta de menestréis de nossa cultura. Através do encantamento de sua Rabeca abre-se  uma arca de riquezas artísticas que enchem nossas inspirações de brasilidade. O que quer dizer, inventividade cultural e liberdade criativa.

Essa aula espetáculo procura construir o entendimento de que os modos e formas peculiares presentes na cultura popular têm muito a nos ensinar enquanto sociedade: nas suas idiossincrasias estéticas, dualidades simbólicas entre a tradição e a contemporaneidade , nas suas relações de poder com a cultura erudita e oficial, nas relações postas entre a natureza e a humanidade, geralmente muito bem integradas na cultura popular, enfim. Através desta aula-espetáculo ministrada pelo rabequeiro, ator, compositor e sociólogo Caio Padilha, o público é levado à uma viagem crítica por sua própria identidade brasileira. Para tanto o rabequeiro potiguar articula música nordestina e poesia popular, na tentativa de elevar a autoestima cultural de um povo, despertando o interesse em conteúdos ainda não hegemônicos nos grandes meios de comunicação do Brasil. 

 

Apresentação Musical:
ARRIVALS: Rabecas e Arribaçãs

Sobre o CD: 

 

"Arrivar, chegar, voltar e partir pelo mundo afora, como se a rabequinha fosse pássaro de Arribação." Caio Padilha 

 

Apesar de acompanhado por sua Rabeca há mais de 5 anos, “ARRIVALS: Rabecas e Arribaçãs" é o primeiro trabalho de estúdio do músico que se debruça sobre o instrumento. O disco teve produção financiada coletivamente pela internet, o patrocino Sebrae, e apoio do site Som Sem Plugs e M.A.P.A Realizações Culturais. Nessa obra, Caio lança um olhar urbano e moderno sobre a música  popular e tradicional no Brasil, apresentando letras e canções de grandes representantes da poesia e canção potiguares, como Celso da Silveira e Almir Padilha, bem como as parcerias de Caio Padilha com os compositores Riccelly Guimarães (CE) e Luciano Garcez (SP). Com texto, produção musical e arranjos do jovem rabequeiro potiguar, Arrivals: Rabecas e Arribaçãs se insere no cenário nacional dos discos de carreira independente em defesa da canção brasileira.

 

Sobre o show: 

 

De suas migrações ainda em 2013, o cantor, compositor rabequeiro Caio Padilha tirou inspiração para falar das arribaçãs e suas revoadas em terras nordestinas. No deserto árabe, onde esteve vizinho por um ano, se impregnou ainda mais de Asa Branca e Sertão Veredas. E dessas saudades sertanejas se fez música e folia para o este espetáculo de pré-lançamento virtual do trabalho de divulgação de seu primeiro disco: Arrivals - Rabecas e Arribaçãs.

Eis um exemplo poético que dá o tom do espetáculo, na canção de abertura  que é de 1978 e que nunca tinha sido gravada: 

 

"Ainda voltei àquelas terras, ainda voltei depois de tempos / um mato seco rasteiro tomava veredas, antes meu caminho / num desmantelo danado, tudo amontoado sem pai nem padrinho / tomei assento a uma pedra e olhei fechado tanto desalinho / ainda ouvi todo meloso mas longe medroso cantar passarinho. (Almir Padilha) 

Contação de História para Crianças:

“Contos de Rabeca no Reino da Bicharada” é um encontro entre música de rabeca, poesia nordestina, e contos populares concebido pelo rabequeiro potiguar Caio Padilha.  É um projeto itinerante para escolas e instituições culturais, inspirado na tradição dos menestréis, cantadores e contadores de histórias. A apresentação envolve em um só momento lúdico, a contação de histórias e a cultura popular centrada principalmente nos temas da fauna nordestina e da música de rabeca. 

Com sua experiência de 5 anos como contador de histórias no Grupo Estação de Teatro e dando Oficinas de Rabeca dentro e fora do Brasil, Caio Padilha se apropria de poetas populares como Antônio Francisco, Fabião das Queimadas,  para substituir os tradicionais leões, zebras, girafas e elefantes, pelas fábulas do jumento nordestino, o calango, o carcará, o tatu peba, entre outros elementos da paisagem brasileira, tão presentes na obra de Câmara Cascudo, Luís Gonzaga, Elino Julião, Antônio Nóbrega, João do Vale, entre outros.  

A música nordestina, especialmente executada pela Rabeca, o Côco, o Forró, o Xote e o Baião, levará ao público conhecimentos básicos sobre o instrumento de arco tão próprio de nossa cultura, e sempre ameaçado de uma espécie de “desmemória”. O caráter informativo aliado às brincadeiras populares, caracteriza o projeto como uma espécie de aula-espetáculo, lúdica, teatral e itinerante focada no público infantil. A Rabeca aplicada à contação de histórias, remete a uma atmosfera intimista que valoriza momentos de contemplação estética e imaginativa. “Contos de Rabeca no Reino da Bicharada” é apresentado pelo músico carioca radicado em Natal Caio Padilha e oferece ao público uma oportunidade única de envolvimento do publico com as diversidades de identidade da cultura brasileira.